Notícias

Irmãos Nadi, a família da marca impossível


Naturais de Livorno, Nedo (foto) e Aldo Nadi começaram na Esgrima muito cedo. Seu pai, Giuseppe, era um mestre da modalidade e a ensinou a ambos seguindo o estilo clássico do esporte e nas armas Florete e Sabre. “Beppe”, como era conhecido, se recusava a dar treinos de Espada, por considerar a arma “indisciplinada”. Ainda assim, os irmãos decidiram aprendê-la por conta própria.

E foi nos Jogos de Antuérpia que os Nadi atingiram o auge. Competindo nas três armas, eles conquistaram o Ouro em todas! Nedo ainda foi campeão no Florete e Sabre individual. Sua performance era vista como “beirando a perfeição” para os especialistas.

Aldo e Nedo posteriormente emigraram para a América. Aldo foi para os Estados Unidos, onde lecionava Esgrima e preparava atores para cenas onde praticavam o esporte. Nedo foi para Buenos Aires, onde também foi técnico no Buenos Aires Jockey Club. Mas ele retornou à Itália anos depois e presidiu a Federação Italiana até 1940, quando faleceu.

As conquistas de 1920 são até hoje as maiores já conquistadas por uma família e uma única edição dos Jogos e a marca dos irmãos permanece nos autos como os únicos a subir ao pódio nas três armas. Nedo foi até 1972 o maior medalhista de ouro em uma mesma edição, quando Mark Spitz somou sete ouros na Natação.


  • 15 de dezembro de 2016